O que aprendi com o livro Os Segredos da Infância

Talvez eu possa dizer que me transportei entre lembranças preciosas e pude sentir os seus sabores

15/12/2015 | 10:06   
O que aprendi com o livro Os Segredos da Infância O que aprendi com o livro Os Segredos da Infância

Ah, como é bonito e gratificante ler o livro Os Segredos da Infância. É significante ver a beleza das lembranças de duas crianças serem traduzidas pelas palavras dos homens que as viveram e as sentiram há alguns anos.

É lindo ver as descobertas, de sensações nunca sentidas antes, sabores nunca antes provados e que de tão deliciosos que foram, até hoje são guardados. Guardados no mais intimo dos corações dos dois, e que de uma forma tão singela me permitiram senti-los também através dessa leitura. 

Talvez eu possa ser mais sincera e dizer que me transportei entre essas lembranças preciosas, e pude sentir o sabor daquelas aflitivas gotinhas, que se transformaram em alegria e calmaria após o medo de tomar vacina ter passado e mostrado que nem sempre será tão assustador quanto aparenta. E por fim digo, até que não foram tão ruins. 

Pude ainda sentir o gostinho saboroso daquele bolo de chocolate capaz de remediar a tristeza de ter o brinquedo tão esperado quebrado, que fez com que a raiva para com o causador de tal tristeza passar, e o poder desse bolo é tão grande que permitiu que ele fosse compartilhado com o pequeno infrator.

Ah, não posso esquecer de falar dos super-heróis que mesmo sem poderes extraordinários, puderam fazer de simples momentos, grandes lições. Podiam não possuir poderes de teletransporte, não podiam voar, nem mesmo fritar coisas com seus olhos de raio laser, mas podiam sim, amar seus filhos como ninguém mais fora ou será capaz de amar. O amor é maior e mais poderoso super poder de alguém, ter o dom de amar sem medidas, de se fazerem fortes e aguentar os solavancos da vida para doar o melhor de si, em favor dos seus tão amados filhos.

O pai que se transforma em super-herói, revestido de simplicidade e amor ao transformar a frustração de seu pequeno em alegria e admiração. Pequeno esse que se transformaria também em um mini herói, se ganhasse a marreta biônica que tanto queria, mas os poderes de seu pai transformaram um desconhecido boliche em um dos momentos mais especiais da vida do seu filho. 

Momento terno de amor e admiração de um filho por um pai, e de um pai para com seu filho. Sem falar num irmão mais velho que alegra o coração de seu irmão caçula ao fabricar uma pipa, que foi capaz de encher não só seus olhos ao vê-la no céu, mas o fez sentir que estava voando ali em cima com ela. 

E tantas outras histórias, outras emoções, mas algo que me chamou atenção foi o amor por essas mães que hora foram coadjuvantes, hora protagonistas, mas estavam presentes em quase todas as cartas. Quão grande foi o amor que demonstraram por elas, cada um com sua particularidade, deixa estampado o amor e admiração por suas mães guerreiras, e tão presentes. 

Encerro dizendo que com este livro, sorri, me emocionei e mais ainda, aprendi que não é permitido a nós esquecer momentos tão belos quanto dos de nossas meninices e é sempre preciso fazer menção a eles, para revigorar em nosso coração o dom de amar e ser feliz! Muito Obrigado aos autores, Anobelino Martins e Luiz Cleysson.

O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.
Você sabia? por Jaynne Gabrielle

Jaynne Gabrielle

É acadêmica de Geografia pela Universidade Federal de Alagoas. Pretende trazer para esta coluna assuntos curiosos que envolvem a riqueza da biodiversidade, além de explorar questões referentes aos mistérios do planeta terra e até mesmo do espaço sideral. A coluna de Gabrielle é o espaço certo para instigar os amantes das ciências naturais.
São Luiz Net

Curta no Facebook