A verdade sobre o veneno dos sapos

16/09/2015 | 14:07   
Foto: Casa das Ciências Foto: Casa das Ciências

Animal tão comum que causa nojo e medo em algumas pessoas por sua aparência nada agradável, que por crendice popular muitos acreditam que seu sistema de defesa pode causar cegueira. Achando outros mais raros de serem vistos, que são pequenos e possuem colorações distintas e acentuadas, bonitos e inofensivos, estão completamente enganadas. Você não sabe ainda do que estou falando? Estou falando dos tão conhecidos sapos.

Vou começar falando dos sapos que vemos com maior frequência em nosso cotidiano, esses sapos não causam cegueira como muitos acreditam. O que acontece é que cada animal possui um sistema defensivo contra seus predadores, e com eles não é diferente. O líquido que ele excreta ao ser atacado ou se sentir acuado por seus predadores nada mais é do que uma solução líquida inofensiva que os mesmos armazenam em suas bexigas. 

Mas vale ressaltar que alguns sapos verruguentos possuem glândulas onde armazenam uma solução esbranquiçada, pastosa e brandamente tóxica, sendo a mesma excretada quando o animal é mordido por um predador ou se sofrer alguma pressão sobre essas glândulas. Essa solução acarreta irritações ao seu predador, e se por acidente, entrar em contato com nossos olhos ou narinas pode causar sensações nada agradáveis.

 Já os sapos mais raros de serem vistos no nosso dia-a-dia, sendo mais comuns nas florestas com lindas cores, combinações encantadoras, escondem um grande segredo por trás de suas cores tão bonitas e intensas. Escondem venenos letais capazes de matar mais de uma pessoa.

São animais pequenos, alguns na idade adulta alcançam apenas um centímetro de cumprimento, mas possui uma grande carga letal. Geralmente animais coloridos são sinais de beleza para nós, mas esses amiguinhos não! Na verdade eles são um grande sinal de perigo, portanto não se engane com sua aparência.

Algumas tribos indígenas se utilizam do veneno desses sapos para ajudá-los na hora da caça. Pegam um sapinho e fazem uso do veneno em suas flechas, assim levam o animal caçado à morte mais rapidamente. Inclusive aqui no Brasil há uma rã muito encontrada no cerrado e na Amazônia e que muitos índios fazem uso do seu veneno. (imagem abaixo). 

Os índios usam a secreção expelida pela barriga dessa rã, dizendo que afasta a má sorte da tribo. Alguns sintomas apresentados depois do uso do veneno são diarreias, náuseas e vômitos e taquicardias.

Um dos menores exemplares desses sapos venenosos é o sapo da espécie Epipedobates Tricolor (imagem abaixo). Esse sapo chega a 1 centímetro quando adulto e possui toxicidade suficiente para matar várias pessoas, tendo sua pele 200 vezes mais tóxica que uma dose de morfina (Analgésico mais potente no alívio de dores severas).

A espécie de sapo mais venenosa do planeta como se pode perceber pelo nome, é da espécie Phyllobates Terribilis. Essa espécie é a mais venenosa tanto para homens quanto para os animais.

Esses sapos são considerados venenosos por que precisam ser ingeridos ou simplesmente tocados para que esse veneno possa agir. Se eles possuíssem algum meio de injetar esses venenos tão letais por meio de algum ferrão ou de presas (como as das cobras), seriam considerados peçonhentos. A toxicidade desses animais provém da alimentação natural e específica deles, (de onde retiram alcaloides compostos nitrogenados orgânicos necessários para a produção do veneno) como algumas formigas, cupins e outros insetos.

Portanto, se você se deparar com algum desses, não os toque, apenas olhe, fotografe e siga seu caminho, caso contrário, você pode entrar numa enrascada e passar alguns apuros.

E aí, você sabia?

Espero que tenham curtido! Abaixo algumas fotos de outras espécies venenosas.

Texto: Jaynne Gabrielle 
Fotos: Imagens do Google

O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.
Você sabia? por Jaynne Gabrielle

Jaynne Gabrielle

É acadêmica de Geografia pela Universidade Federal de Alagoas. Pretende trazer para esta coluna assuntos curiosos que envolvem a riqueza da biodiversidade, além de explorar questões referentes aos mistérios do planeta terra e até mesmo do espaço sideral. A coluna de Gabrielle é o espaço certo para instigar os amantes das ciências naturais.
São Luiz Net

Curta no Facebook