A militância petista a cada dia se torna mais incoerente

25/01/2018 | 22:06   

Não me dedicarei a comentar os fatos que circundam o julgamento do ex-presidente Lula no último dia 24, tendo em vista que, esse tema tem sido amplamente discutido nas mídias. Hoje falaremos das ações do PT após o julgamento.

A esquerda brasileira que há alguns meses manifestava revolta com uma série de supostos golpes de estado, parece agora querer ser a causadora de um verdadeiro golpe. Refiro-me aos discursos fanáticos de deputados e senadores no impeachment da ex-presidente, sem noção, Dilma Rousseff, os calorosos debates acerca da reforma trabalhista, PEC do teto dos gastos públicos, e a tão esperada reforma da presidência.

Após o julgamento do recurso do chefão da máfia petista, os militantes se reuniram em um ato de apoio a Lula. Ocorre que, esse ato mais pareceu um encontro de gangues com intuito de implantar o caos.

A presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann, disse dias antes do julgamento que para prender Lula seria preciso “matar gente”.

Ontem (24), foi a vez do líder do partido no Senado Federal, o senador Lindbergh Farias, que conclamou os seus correligionários a iniciarem “uma rebelião cidadã e desobediência civil”.

É surpreendente a tamanha incoerência do PT, uma vez que, ao ter seus interesses pessoais e escusos frustrados, optam por incitar seus adeptos a cometerem atos de desobediência à ordem constitucional vigente.

Apoiados pelas famosas frentes sindicais, que igualmente ao partido, estão acostumadas a “mamar nas tetas” do Estado e dos trabalhadores, a liderança do PT resolveu pisotear as instituições do Estado e ignorar qualquer valor das leis do país. Xingamentos e ameaças não faltaram nos discursos.

O curioso é que tal ato parta de senadores da república, que infelizmente abrigados sob a proteção da imunidade parlamentar, incitam a sociedade ao cometimento de crimes, com discursos alienadores e odiosos. Aliás, essa é a mesma imunidade que não pode ser aplicada ao caso Bolsonaro X Maria do Rosário, o qual supostamente teria feito apologia ao crime de estupro. E o que fizeram Lindbergh e Gleisi?

É lamentável a capacidade de distorção da realidade que possui a perigosa esquerda, mais ainda, a incoerência escandalosa na divulgação de uma ideologia mundialmente falida.

Aqueles que odeiam o estado de exceção, mas pretendem instalar uma ditadura de esquerda no país.

Uma coisa é certa, o dia 24 de janeiro de 2018, pode ser considerado o divisor de águas no combate à corrupção neste país, isso porque, a manutenção da condenação de Lula, evidencia um rompimento das instituições com criminosos do alto escalão, apresenta à sociedade uma classe de homens e mulheres que estão dispostos a abrir mão de seus interesses privados, para preservar aqui o que é público. E acima de tudo, mostra uma sociedade esgotada de sofrer na mão de partidos e políticos que, supostamente, travam lutas por direitos coletivos.

O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.
P de Política por Isaque Lins

Isaque Lins

Atualmente é acadêmico do Curso de Direito no Centro Universitário Cesmac. É co-fundador do projeto "Política se Discute", uma iniciativa que visa fomentar a discussão política na internet.
JBuarque

Curta no Facebook

São Luiz Net