Marketing partidário: Partidos políticos utilizam slogans para contornar a crise de representatividade

25/12/2017 | 22:33   

Depois de tantos escândalos políticos e com a aproximação do ano eleitoral, os partidos políticos resolveram substituir suas siglas por slogans chamativos. O objetivo claramente é apresentar uma nova face para o eleitorado e fugir das máculas trazidas pela corrupção quase que generalizada.

Avante do PT do B, Podemos do PTN, são exemplos das mudanças que os partidos estão fazendo. Com a conotação de palavras de ordem, os partidos querem agora criar uma relação de identidade os anseios da sociedade.

Toda essa investida no marketing me fez lembrar uma das falas de Jesus: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia” (Mateus, 23:27).

A repreensão dirigida aos escribas e fariseus buscava atacar a hipocrisia com que agiam; ensinavam, mas não praticavam. Era um pouco de “faça o que digo, mas não faça o que faço”.

E agora os partidos mudam seus nomes, mas não mudam seus candidatos. Continuam cheios de ossos de mortos e imundícia, corruptos e mercenários.

O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.
P de Política por Isaque Lins

Isaque Lins

Atualmente é acadêmico do Curso de Direito no Centro Universitário Cesmac. É co-fundador do projeto "Política se Discute", uma iniciativa que visa fomentar a discussão política na internet.
São Luiz Net

Curta no Facebook