Defesa Civil prepara demolição de mais de mil casas em áreas de risco em Maceió

Residências estão em área de risco; recursos estão garantidos e prefeitura espera licitação de empresa

Publicada em 10/01/2018 às 19:48
Gazeta Web
  
Serão demolidas casas construídas em áreas de risco  FOTO: JOBISON BARROS Serão demolidas casas construídas em áreas de risco FOTO: JOBISON BARROS

ACoordenadora Municipal da Defesa Civil de Maceió deve demolir, até o próximo mês de fevereiro, as casas condenadas após as chuvas que atingiram a capital alagoana entre maio e julho do ano passado. Ao todo, 1.065 moradias em diversas áreas de risco da cidade serão destruídas pela prefeitura.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil Municipal, Dinário Lemos, as casas demolidas são as cadastradas em 2017. "Aquelas famílias que foram atendidas e catalogadas vão ganhar nova habitação. Todas, inclusive, já assinaram um termo de demolição. Mandamos os documentos para Brasília e, posteriormente, obtivemos o recurso para isso", explica.

A verba é de pouco mais de R$ 2,4 milhões e a licitação para o serviço está sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (SEMSCS). Uma empresa especializada será contratada. Também ficará a cargo desta empresa a retirada do entulho dos locais.

Inicialmente, 1.400 famílias se cadastraram para ganhar novas residências, sendo que 1.065 foram referenciadas - parte delas não apareceu para as demais etapas do processo. "Serão demolidas casas em que o engenheiro detectou que há risco iminente. Foi avaliado que não há condições de a pessoa ficar e, por isso, ela foi catalogada pela nossa equipe", reforça Dinário. 

O coordenador acrescenta que, para a execução co serviço, é preciso que as moradias sejam efetivamente desocupadas. "Teoricamente, as casas devem estar vazias, mas poderemos encontrar gente dentro no ato da demolição. Nesses casos, elas só poderão ser demolidas quando a família receber uma casa nova. Já as demais serão demolidas de imediato, devido ao risco de estas residências serem invadidas".

E Dinário destaca o trabalho do Município na distribuição da habitações. "A Prefeitura está pleiteando mais habitação para essas pessoas. Vai ceder algumas das que estão prontas, mas espera a construção de novas", complementa o coordenador da Defesa Civil de Maceió. 

Na época das chuvas, o número de pessoas desabrigadas e desalojadas em todo o estado passou de 2 mil. Na capital alagoana, foram registrados sete óbitos.

O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.
São Luiz Net