Com "uma bala", Corinthians adota cautela em busca por substituto de Jô

Clube descarta gringos oferecidos e prioriza mercado nacional; valores ainda são entrave

Publicada em 05/01/2018 às 09:28
Globo Esporte
  
Jô assinou com o Nagoya Grampus e deixou lacuna no ataque do Corinthians  I FOTO: DIVULGAÇÃO/NAGOYA GRAMPUS Jô assinou com o Nagoya Grampus e deixou lacuna no ataque do Corinthians I FOTO: DIVULGAÇÃO/NAGOYA GRAMPUS

Apesar de começar a pré-temporada sem seu principal artilheiro de 2017, o Corinthians tem o pé no freio na busca de um substituto para Jô. Com um mercado inflacionado e poucas opções viáveis, a diretoria diz só "ter uma bala" e deve estender essa busca durante a disputa do Torneio da Flórida, nas próximas semanas.

Assim que a venda de Jô ao Nagoya Grampus, do Japão, foi anunciada, empresários começaram a oferecer jogadores ao Corinthians - como os argentinos Gigliotti e Jonathan Calleri, este último com passagem pelo rival São Paulo.

Neste momento, os gringos foram recusados, e a prioridade do Corinthians é achar alguém dentro do Brasil. Roger, que acertou com o Internacional, foi quem esteve mais perto de ser contratado. Intermediários sugeriram até nomes considerados irreais - Ricardo Oliveira, por exemplo, que fechou contrato com o Atlético-MG.

Mesmo com os cerca de R$ 43 milhões a serem recebidos pela negociação de Jô, o clube não vai fazer loucuras. Por isso, os salários dos nomes analisados têm assustado.

O perfil buscado pelo Corinthians é bem claro:

- Não é tão fácil responder ao que o mercado te oferece. Se você tem uma posição financeira privilegiada, aponta o dedo para o melhor do setor e traz, mas não é o que a maioria dos clubes brasileiros vive hoje. É só ver as trocas que estão acontecendo, quais clubes estão participando. Não tem sido nada fácil. Nós nos acostumamos a jogar em 2017 com um jogador de referência, de área, o ideal seria entregar um jogador mais próximo disso. Não sei se conseguiremos - afirmou o gerente de futebol Alessandro Nunes.

Enquanto não gasta essa "bala" no reforço considerado ideal, o Corinthians inicia a pré-temporada com quatro jogadores que podem fazer a função de Jô: Kazim e Carlinhos, centroavantes de ofício, Júnior Dutra, atacante que sabe atuar como referência, e o meia Danilo, que pode ser improvisado no setor como um "falso nove".

O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.
São Luiz Net