Cearense missionário é ordenado padre para Alagoas

Ordenação presidida pelo Arcebispo Dom Antônio Muniz foi realizada na primeira paróquia fundada no Estado

Publicada em 28/12/2017 às 10:25
Micheliny Tenório I Comissão da Arquidiocese de Maceió
  
Ordenação Sacerdotal de Francisco Guido (Fotos: Comissão da Arquidiocese de Maceió) Ordenação Sacerdotal de Francisco Guido (Fotos: Comissão da Arquidiocese de Maceió)

O Arcebispo de Maceió Dom Antônio Muniz Fernandes, O. Carm., presidiu na noite dessa terça-feira (26) a ordenação sacerdotal do Padre Francisco Guido da Silva, realizada na Paróquia Nossa Senhora da Apresentação, em Porto Calvo. A cerimônia contou com as presenças de representantes do Clero, seminaristas, familiares do neo-sacerdote e fiéis paroquianos.

A referida paróquia foi à primeira fundada no Estado, quando Alagoas ainda era território da Capitania de Pernambuco, em 1610. Cearense de nascença, mas alagoano de coração, o Padre Francisco Guido aos 20 anos passou a fazer parte da Comunidade Shalom e durante 12 anos foi missionário do Ministério da Pregação e Formação em vários estados do Brasil e fora do país. Bacharel em Filosofia, o novo padre da Arquidiocese de Maceió falou sobre suas expectativas nessa nova missão.

“Minha vocação foi um pouco tardia devido ao trabalho missionário, porém, mantenho-me perseverante no lema de Nossa Senhora: ‘faça-se em mim segundo a vossa vontade’. Nesse exemplo de Maria e acreditando que para Deus nada é impossível, eu disponho minha vida ao sacerdócio na expectativa de que a vontade de Deus se cumpra através de mim”, ressaltou Padre Francisco Guido.

Ordenação sacerdotal

O rito de ordenação desenvolveu-se em cinco atos distintos. O primeiro foi à candidatura do eleito ao cargo de presbítero, em que o arcebispo, Dom Antônio Muniz, leu a confirmação de que o diácono era digno para assumir a ordem do presbitério. Em seguida o Arcebispo aconselhou o neo-sacerdote ao fazer uma analogia reflexiva sobre a presença do galo na manjedoura feita por São Francisco de Assis.

“Devemos caminhar na simplicidade. O canto do galo, àquele que cantou após Pedro negar Jesus e que foi acrescentando na manjedoura por São Francisco de Assis deve ser o impulso de nossa consciência em aceitar e se comprometer com a importância do servir e não ser servido; de negar as vaidades e colocar-se ao serviço de todos, em especial dos mais desvalidos. Precisamos abandonar maus hábitos e cultivar a harmonia e a paz”, defendeu o Arcebispo de Maceió.

Em seguida, deu-se continuidade ao rito de ordenação. As vestes que se encontravam com a mãe de Padre Francisco Guido foram passadas para o Padre José Fernando Gerônimo, da Paróquia Nossa da Apresentação; Padre Hamilton Alves, da Paróquia São Sebastião, no Tabuleiro do Pinto em Rio Largo; e para o Cônego José Kermes Martins da Paróquia Nosso Senhor do Bomfim, no Poço, que auxiliaram o neo-sacerdote a se paramentar.

O Padre Francisco Guido celebra sua primeira missa nesta quarta-feira (27) na Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Vergel do Lago.

O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.
São Luiz Net

Curta no Facebook