Diocese de Palmeira dos Índios ordena diáconos em Santa do Ipanema

Os novos diáconos provisórios são naturais das regiões do Agreste e Sertão alagoanos, onde permaneceram contribuindo com as obras da Diocese

Publicada em 01/12/2017 às 13:52
Micheliny Tenório I Pascom Arquidiocese de Maceió
  
Fotos: Caroline Alencar I Pascom Maceió Fotos: Caroline Alencar I Pascom Maceió

A Diocese de Palmeira dos Índios, por meio da interseção do bispo D. Dulcênio Fontes de Matos, administrador apostólico em Palmeira dos Índios, ordenou três novos diáconos provisórios durante cerimônia religiosa realizada na segunda-feira (27) na Igreja Matriz de Senhora Sant’Ana, em Santa do Ipanema.

Os seminaristas ordenados foram José Walter da Silva Santos Filho, Márcio Cândido dos Santos e Tácito José Alencar Souza. Familiares, amigos e seminaristas do Seminário Nossa Senhora da Assunção, em Maceió, estiveram presentes para testemunhar o “sim” dos diáconos para mais um chamado de Deus.

Após a proclamação do Evangelho de S. Mateus, feita pelo diácono Paulo Gomes da Arquidiocese de Maceió, Dom Dulcênio destacou em sua homília princípios e atitudes que devem nortear a conduta e servidão do diácono.

“Os diáconos assumem o ministério de atendimento aos pobres, pois, o anúncio da Palavra de Deus não pode ser desviado dessa ação. O projeto de Deus requer oração e ação. Devemos ser uma igreja de saída, como reza o Papa Francisco. Logo, a ação diaconal deve-se voltar também para as questões sociais, em especial com os mais necessitados”.

O bispo enalteceu a necessidade da busca pela santidade para a missão abraçada pelos diáconos. “Para bem servir aos pobres e à comunidade, que vocês tenham uma vida santa, caminho que nos conduz São Paulo apóstolo. Busquem a face de Deus. Exerçam o ministério diaconal e depois o sacerdotal exalando o odor da santidade”, aconselhou Dom Dulcênio para dar início aos ritos específicos da ordenação, realizados em cinco momentos distintos.

Primeiro foi o Propósito dos Eleitos, quando o bispo questionou os seminaristas sobre o direito ao ministério diaconal, em que os mesmos responderam querer e seguir o mais próximo da perfeição, com votos de respeito e obediência a Dom Dulcênio e seus sucessores.

Em seguida foi cantada a Prece Litânica e o canto da Ladainha dos Santos com os diáconos prostrados no chão como sinal de despojamento e desprendimento.

Prosseguindo com o rito, houve a Imposição de Mãos e Prece de Ordenação, quando os diáconos ajoelharam-se para a prece proferida por Dom Dulcênio, que invocou o envio do Espirito Santo para o fortalecimento dos sete dons da graça de Deus e para o exercício fiel do ministério pelos diáconos.

Após a prece, ocorreu o momento da Paramentação em que os pais dos três diáconos entregaram aos filhos a estola transversal e a dalmática, ajudando-os a se paramentarem no presbitério.

Finalizando o rito diaconal, Dom Dulcênio entregou um exemplar do Livro dos Evangelhos a cada diácono, lembrando-os que as Sagradas Escrituras devem ser o fundamento do ministério diaconal.

Ao final da cerimônia, o diácono José Walter, representando os demais, leu mensagem de agradecimento e de reflexão sobre a jornada vivida no Seminário e a missão agora iniciada.

“Nossa gratidão sublime à Santa Eucaristia a quem entregamos nossa vida ao serviço de Deus. Atravessamos momentos difíceis, mas o Senhor nunca desiste de nós, pois a alegria em Deus nos esperançou para seguir adiante”, declarou Walter agradecendo aos pais pela dedicação, a toda comunidade pelas orações e ao Clero pela oportunidade da ordenação.

Durante a mensagem os três novos diáconos homenagearam Dom Dulcênio, que está sendo transferido da Diocese de Palmeira dos Índios para a Diocese de Campina Grande na Paraíba.

O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.
São Luiz Net

Curta no Facebook