Exposição no Museu da Imagem e do Som retrata ‘A Quebra de Xangô’

'Quebra, 1912', de Persivaldo Figueirôa, reúne telas e esculturas que revelam histórias da luta e resistência afro-brasileira

Publicada em 08/11/2017 às 10:50
Agência Alagoas
  
Obras estabelecem diálogos com as raízes afro-brasileiras (Fotos: Ascom/Secult) Obras estabelecem diálogos com as raízes afro-brasileiras (Fotos: Ascom/Secult)

Um misto de telas, pedras, papéis e materiais em desuso compõe a exposição “Quebra, 1912”, do artista plástico Persivaldo Figueirôa, em exibição no Museu da Imagem e do Som de Alagoas (Misa). A mostra permanece para visitação até o dia 29 de novembro. A entrada é gratuita.
 
O artista junta, em suas composições, formas, estruturas e conteúdos que revelam ao olhar do visitante histórias da luta e resistência afro-brasileira. A simplicidade pictórica é o traço da identidade das obras de Figueirôa.
 
“É uma simbiose de sentir, pensar, criar. As obras estabelecem diálogos com as raízes afro-brasileiras, agregando valores simbólicos, encontrando campo fértil nas ferramentas, instrumentos e imagens do candomblé”, destaca Persivaldo.
 
A “Quebra de Xangô” é o marcante episódio da derrubada dos terreiros de cultos afros em Maceió. A exposição faz uma ligação entre o acontecimento e a exaltação à Iemanjá. “A intolerância e o preconceito às praticas religiosas de matriz africanas não conseguem se libertar em sua totalidade e aquele fevereiro de 1912 respinga em dias atuais”, conclui.
 
Misa
 
O Museu da Imagem e do Som está localizado na Rua Sá e Albuquerque, 275, no bairro do Jaraguá, em Maceió. O espaço é aberto ao público de terça a sexta-feira, das 8h às 17h, e nos finais de semana e feriados, das 13h às 17h. Visitas guiadas devem ser agendadas com antecedência. Mais informações pelo telefone: (82) 3315-7882.

O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.
São Luiz Net