Ganhadores do Nobel enviam carta a Michel Temer com preocupações com cortes na ciência

Grupo de 23 ganhadores do prêmio diz que cortes podem comprometer o futuro do país. 'Impossível acomodar um corte de mais de 50%', escreveram.

Publicada em 09/10/2017 às 12:51 - Atualizada em 09/10/2017 13:05
G1
  
O químico Venkatraman Ramakrishnan, britânico ganhador do Nobel de Química em 2009, foi um dos signatários da carta a Michel Temer (Foto: The Royal Society/Divulgação) O químico Venkatraman Ramakrishnan, britânico ganhador do Nobel de Química em 2009, foi um dos signatários da carta a Michel Temer (Foto: The Royal Society/Divulgação)

Um grupo de 23 ganhadores do prêmio Nobel enviou uma carta ao presidente Michel Temer com preocupações relacionadas aos cortes no orçamento em ciência e tecnologia no Brasil. Na carta, o grupo cita que os cortes podem comprometer o futuro do país e que grupos de pesquisa brasileiros renomados internacionalmente podem ser afetados.

A carta foi enviada ao presidente brasileiro na sexta-feira (29), às vésperas do Nobel. Nesta segunda-feira (2), o prêmio laureou três cientistas americanos por suas descobertas relacionadas ao relógio biológico. Na terça (3), serão anunciados o Nobel de Física; na quarta (4), o de Química; na sexta (6), o Nobel da Paz.

"Eu assinei a carta. Não espero uma resposta pessoal, nem acredito que precise de uma. Só espero que o governo brasileiro repense o assunto", disse ao G1 Venki Ramakrishnan, biólogo que ganhou o Nobel de Química em 2009 por seus estudos com a estrutura de ribossomos.

Neste ano, a pasta de Ciência e Tecnologia brasileira sofreu um corte de 44% em seu orçamento (de R$ 5,8 bilhões em 2016, para R$ 3,2 bilhões em 2017). O ministro da Ciência e Tecnologia Gilberto Kassab disse, no entanto, que alguns projetos tiveram a verba preservada -- como foi o caso do Sirius, o acelerador de partículas brasileiro.

Na carta enviada ao presidente Michel Temer, contudo, os laureados do Nobel citaram que cortes dessa ordem são difíceis de "acomodar".

Após citar que um corte de mais 15.5% é esperado para 2018, os laureados do Nobel alertaram também para o impacto da tesoura no futuro de jovens cientistas no Brasil.

"Esses cortes vão danificar o país por muitos anos, com o desmantelamento de grupos de pesquisa renomados e um exôdo de cérebros que vai afetar os melhores jovens cientistas", diz o texto da carta, enviada na sexta-feira (29).

O texto cita ainda que, enquanto em outros países, a crise econômica levou a cortes da ordem da ordem de 5% a 10%, "um corte de um nível de mais de 50% é impossível de acomodar, e vai comprometer seriamente o futuro do país."

Por fim, os cientistas finalizam: "Sabemos que a situação econômica no Brasil está muito difícil, mas insistimos que considere sua decisão antes que seja tarde demais."

Assinam a carta:

Ganhadores do Nobel de Medicina e Fisiologia

Harold Varmus (1989)
Jules Hoffmann (2011)
Tim Hunt (2001)
Torsten Wiesel (1981)

Ganhadores do Nobel de Química

Martin Chalfie (2008)
Johann Deisenhofer (1988)
Robert Huber (1988)
Ada Yonath (2009)
Dan Shechtmann (2011)
Venkatraman Ramakrishman (2009)
Jean-Marie Lehn (1987)
Yuan T. Lee (1986)

Ganhadores do Nobel de Física

Albert Fert (2007)
David Gross (2004)
Serge Haroche (2012)
Claude Cohen-Tanooudji (1997)
Andre Geim (2010)
Robert B. Laughlin (1998)
Frederic Duncan M. Haldane (2016)
Klaus von Klitzing (1985)
Arthur McDonald (2015)
Takaaki Kajita (2015)
Jerome Friedman (1990)

O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.
São Luiz Net

Curta no Facebook