Martinho da Vila convida alagoanos para 8ª Bienal Internacional do Livro

Além de lançar mais um livro, músico vai participar de debate sobre questões raciais neste sábado (30)

Publicada em 29/09/2017 às 10:24
Agência Alagoas
  
Aos 79 anos, Martinho da Vila está em Maceió onde lançará livro na Bienal e foi convidado pelo Instituto Raízes de África para proferir palestra no do 8° Ciclo de Nacional de Conversas Negras, sob a ótica racial e de gênero I Foto: Neno Canuto Aos 79 anos, Martinho da Vila está em Maceió onde lançará livro na Bienal e foi convidado pelo Instituto Raízes de África para proferir palestra no do 8° Ciclo de Nacional de Conversas Negras, sob a ótica racial e de gênero I Foto: Neno Canuto

Com quase 50 anos de carreira, o cantor e compositor Martinho da Vila está em Alagoas para lançar um livro na 8ª Bienal Internacional do Livro e participar de debate sobre questões raciais durante o Ciclo de Nacional de Conversas Negras, neste sábado (30), no Teatro Gustavo Leite, no Centro Cultural e de Exposições, no bairro do Jaraguá.

Durante coletiva de imprensa realizada nessa quinta-feira (28), o sambista convidou os alagoanos para curtir tudo que o evento proporciona. Para ele, a Bienal abriga muito mais que livros.  “Venham à Bienal e não só para me ver. Tenho certeza de que vocês vão gostar”, convidou.

Aos 79 anos, o cantor é embaixador da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e cursa Relações Internacionais. O livro lançado é intitulado Conversas Cariocas e é uma coletânea de crônicas publicadas em jornais, que foram reunidas pela Editora Malê.

Martinho da Vila foi convidado pelo Instituto Raízes de África para proferir a palestra principal do 8° Ciclo de Nacional de Conversas Negras, com o tema Conversa sobre territórios, desterritorialização e a reterritorialização, sob a ótica racial e de gênero.

“Racismo é algo de berço. Essas feiras literárias são fundamentais nessa quebra, porque são discutidas essas questões que passaram anos sem ser abordadas. É um trabalho devagar, mas a gente chega lá”, avalia Martinho.

"A presença do Martinho vai atrair um público amplo e diverso para dentro da discussão social", ressaltou a presidente do Instituto Raízes de África, Arísia Barros.

8° Ciclo de Nacional de Conversas Negras
 
Depois de seis anos, o Ciclo Nacional de Conversas Negras volta a ser realizado em seu Estado de origem com o tema: Conversa sobre territórios, desterritorialização e a  reterritorialização, sob a ótica racial e de gênero. A proposta do evento é aprofundar o diálogo social sobre o racismo estrutural. As últimas edições aconteceram em Goiás e Brasília.
 
Em parceria com a Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris), o Instituto Raízes de África vai levar nesta edição reeducandas à Bienal Internacional do Livro. Elas atuarão como integrantes da mesa de debates e cerimonialistas do evento.

Além disso, um grupo de crianças da periferia vai homenagear o músico Martinho da Vila em uma apresentação cultural e haverá palestra sobre a relação África e Brasil quanto ao racismo.  

Para participar do Ciclo de Conversas Negras basta inscrever-se por e-mail com nome, instituição e número do celular para raizesdeafricas@gmail.com.

Serviço

8° Ciclo de Nacional de Conversas Negras programação da Bienal Internacional do Livro de Alagoas
Data: Sábado (30), das 10h às 18h
Local: Teatro Gustavo Leite, Centro de Convenções

O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.
JBuarque
São Luiz Net

Curta no Facebook