Bauru rejeita jogar a toalha contra o Pinheiros e técnico pede foco no 3º quarto

Após amargar sua segunda derrota na série semifinal, time de Demétrius Ferracciú trabalha para evitar "apagão" pós-intervalo no jogo 3, marcado para esta segunda-feira, em Bauru

Publicada em 14/05/2017 às 16:19
GloboEsporte.com
  
Bauru e Pinheiros voltam a se enfrentar nesta segunda, no Panela (Foto: Caio Casagrande / Bauru Basket) Bauru e Pinheiros voltam a se enfrentar nesta segunda, no Panela (Foto: Caio Casagrande / Bauru Basket)

O Bauru Basket ficou com "a corda no pescoço" nas semifinais da nona edição do Novo Basquete Brasil (NBB 9) após perder o segundo jogo da série melhor de cinco para o Pinheiros, no último sábado, em casa, por 89 a 83. Como está em desvantagem de 2 jogos a 0, o Dragão dará adeus ao nacional de basquete se voltar a perder na noite desta segunda-feira, data do terceiro jogo da série. A partida, novamente no ginásio Panela de Pressão, em Bauru, está marcada para as 19h30 e terá transmissão ao vivo pelo SporTV. O GloboEsporte.com acompanha o jogo em Tempo Real.

Apesar da situação delicada e do clima de tristeza que tomou conta do elenco bauruense, o técnico Demétrius Ferracciú rejeita jogar a toalha e ainda aposta numa virada capaz de colocar sua equipe, pela terceira temporada seguida, na decisão do NBB – nos dois anos anteriores o time bauruense foi derrotado pelo Flamengo e acabou com o vice-campeonato.

– É logico que todo mundo está triste, afinal estamos perdendo a série por 2 a 0. Mas temos de pensar jogo a jogo, e não nas três vitórias que a gente precisa. Agora, só precisamos de uma vitória, para só então pensarmos nos jogos seguintes. A nossa equipe é experiente e sabe lidar com situações desse tipo e, mais uma vez, a gente vai em busca de reverter uma situação que é bem difícil – disse o treinador do Dragão.

Para conseguir o feito de iniciar uma reação em busca de uma virada na série, Demétrius terá de resolver um problema que tem se tornado recorrente, pelo menos na série diante do Pinheiros. Tanto no primeiro jogo, na capital (derrota por 98 a 86), como no jogo 2, em Bauru, no último sábado, o grande problema bauruense aconteceu no terceiro quarto do jogo. Na volta dos vestiários dos dois jogos, Bauru perdeu por placares elásticos – 23 a 9, em SP, e 29 a 17, em Bauru – que acabaram determinando as derrotas.

– A questão para superar o Pinheiros não é fazer algo diferente em termos táticos, mas apenas termos uma atenção diferenciada na volta para o terceiro quarto. Os vacilos [no 3º período] nos custaram a vitória lá em São Paulo e também no jogo 2 em casa. Nas duas situações a gente estava com o controle do jogo, mas daí a vitória escapou. Por isso, temos apenas de voltar mais atentos para não acontecer o mesmo no próximo duelo – resume o treinador.

O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.
Ciclo Peças
Maná Lanches