CRB vence jogaço contra o CSA e leva para casa a cobiçada taça do tri

Galo ganha o segundo jogo das finais e levanta o 30º título do Campeonato Alagoano. Neto Baiano marcou duas vezes no mata-mata e música vira hit

Publicada em 07/05/2017 às 19:40
GloboEsporte.com
  
CRB vence o rival por 3 a 2 no Rei Pelé (Foto: Jonathan Lins/G1) CRB vence o rival por 3 a 2 no Rei Pelé (Foto: Jonathan Lins/G1)

O tricampeonato do CRB foi conquistado num jogo especial, inesquecível para quem viu. Foi disputado palmo a palmo, foi intenso e ainda teve cinco gols. O regatiano não poderia pedir mais da decisão. Adalberto, Mailson e Neto Baiano marcaram neste domingo e entoaram a música do título alagoano. Celsinho e Daniel Costa descontaram, ainda no primeiro tempo. A vitória por 3 a 2 do Galo também deu ao time o 30º caneco do estadual, o quinto nos últimos seis anos. Hegemonia na década está mantida em Alagoas.

Um nome, em especial, merece destaque nas finais. Neto Baiano marcou duas vezes na decisão do ano passado e repetiu o feito em 2017. Estrela enorme na testa. Fez gols até acrobáticos contra o CSA e tirou onda no Rei Pelé. A música que a torcida fez pra ele vai virar hit em Alagoas. O gol do tri foi mesmo do camisa 9.

Que primeiro tempo!

O primeiro tempo foi alucinante. Foram 45 minutos que valeram por todo o campeonato. Ninguém ficou guardando posição na defesa, esperando. Mesmo o CRB, que jogava pelo empate, foi para o ataque e não esperou muito para abrir o placar. Aos 10 minutos, Edson Ratinho cobrou escanteio pela direita, Adalberto subiu soberano no meio da defesa e cabeceou com violência. A torcida do CSA, que lotava o Rei Pelé, levou a pancada, mas explodiu aos 16 minutos.

Thiago Potiguar cruzou da esquerda, no segundo poste, e Celsinho cabeceou entre Juliano e a trave, para empatar o clássico. Ele ganhou na corrida de Mailson e foi perfeito na conclusão. O jogo não parou. Um minuto depois, veio o troco. Diego cruzou da esquerda, Danilo Pires ajeitou e, também de cabeça, Mailson desempatou para o Galo. O primeiro tempo não teve muitos lances de perigos, teve gols. Aos 32, Neto Baiano fez um acrobático, no estilo Ibra. Dominou na área e virou com uma finalização indefensável para Mota: 3 a 1. A parada parecia até resolvida, mas Daniel Costa colocou o Azulão no jogo mais uma vez. Foi aos 36 minutos. Ele bateu uma falta com força e veneno: Juliano ficou no meio do caminho, olhando, e a bola morreu no ângulo. O melhor primeiro tempo do estadual acabou 3 a 2 para o CRB.

Maílson, de cabeça, marca o segundo gol do CRB (Foto: Jonathan Lins/G1)

Segundo tempo com boas jogadas

O CSA se lançou ao ataque no segundo tempo. Não tinha alternativa mesmo. Quase empatou aos 11 minutos. Dawhan bateu de fora da área, por baixo, e acertou o poste do CRB. O Galo se fechou mais na defesa e tentava o contra-ataque. Condé até trocou o centroavante Neto Baiano pelo velocista Maxwell.
Aos 22 minutos, Douglas cochilou e Mailson recebeu com liberdade. Bateu sem muita força e facilitou a defesa do goleiro Mota. O empate quase veio aos 35 minutos. Potiguar cruzou da direita e Cleyton, sem marcação, cabeceou para baixo. Juliano fez uma grande defesa e garantiu o tricampeonato do Galo.

O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.
São Luiz Net
JBuarque

Curta no Facebook